Dia Mundial da Saúde Ocular – Prevenção pode evitar cegueira

Postado em: 28/07/2021 ás 9:25 AM / Categorias: Notícias / Nenhum Comentário /

Dia Mundial da Saúde Ocular – Prevenção pode evitar cegueira

Dia 10 de julho é o Dia Mundial da Saúde Ocular, a data tem o objetivo de alertar sobre a importância do diagnóstico precoce de doenças oculares que podem levar à perda da visão. O Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) estima que quase 75% dos casos de cegueira e deficiência visual podem ser prevenidos ou curados. Ainda de acordo com o Conselho, no Brasil há cerca de 1,5 milhão de pessoas cegas, um percentual de 0,75% da população.

As principais causas de cegueira são: catarata, glaucoma, retinopatia diabética, cegueira infantil e degeneração macular. Já em relação a deficiência visual as doenças mais comuns são os erros de refração como miopia, astigmatismo, hipermetropia e presbiopia, catarata e a degeneração macular relacionada à idade (DMRI).

Segundo o oftalmologista Dr. Artur Pereira , as consultas de rotina são fundamentais para o diagnóstico e tratamento dessas e outras doenças, que muitas vezes podem ser assintomáticas no início. “Essa data ajuda a conscientizar a população sobre a importância das consultas frequentes ao profissional. Os dados alarmantes do CBO mostram que grande parte da perda de visão poderia ser evitada, caso a doença fosse tratada precocemente”.

A catara é uma delas. A doença é a principal causa de cegueira reversível, sendo caracterizada pela perda de transparência do cristalino, lente natural responsável por garantir foco e nitidez. O tratamento é feito com cirurgia onde é colocada uma lente intraocular.

“Porém existem doenças em que a perda da visão é permanente como o glaucoma. Essa doença provoca aumento da pressão ocular ocasionando uma perda progressiva da visão periférica e central. É bastante perigosa por sua característica assintomática e a principal causa de cegueira irreversível. A boa notícia é que se descoberta precocemente, existe tratamento que inclui o uso regular de colírios e, em alguns casos, com a realização de cirurgia”, explica o especialista.

Já em relação aos erros de refração como miopia, astigmatismo, hipermetropia e presbiopia, o diagnóstico e o tratamento é realizado de acordo com cada caso específico. “Geralmente incluem uso de óculos, lentes de contato e cirurgia refrativa”, completa.

Para todos os casos, o diagnóstico com um oftalmologista é imprescindível. Por isso, as consultas devem iniciar ainda nos primeiros meses de vida. “O teste do olhinho é o ponta pé inicial dessa relação e deve ser feito ainda bebê para identificar doenças como catarata congênita, o glaucoma congênito e os processos de má-formação. Além disso, o exame identifica traumas de parto, hemorragias, inflamações e infecções”, ressalta.

As consultas também devem ser realizadas sempre que sentir irritação, ardência ou coceira frequentes nos olhos. “Mesmo em casos em que não há esses sintomas, a frequência deve ser de pelo menos uma vez ao ano”, pontua Dr. Artur Pereira.

 

 

Comments are closed.

Open chat